28.5.12

Por que há momentos em que quebro todas as barreiras
e falo como se livre fosse
E há momentos em que a grosseria como de um tronco de
uma árvore
Faz-me fechar, pois nem todos sabem da pureza que é
ser como líquido, como óleo que toca a pele sem ferir,
que dá cor, hidrata, repõe...
Mas na teimosia que tenho
reabro como uma planta que de tempos em tempos
brota uma flor
Que sempre é uma nova flor!