18.12.10

VIVER
Mário Quintana

Quem nunca quis morrer
Não sabe o que é viver
Não sabe que viver é abrir uma janela
E pássaros pássaros sairão dela
E hipocampos fosforescentes
Medusas translúcidas
Radiadas
Estrelas-do mar... Ah,
Viver é sair de repente
Do fundo do mar
E voar...
e voar...
cada vez para mais alto
Como depois de se morrer!

27.11.10




Mãos dadas em um simples passeio pelas ruas
Recebidos pelos pingos da chuva
Pelas poças d`água
que nos fazem pular e saltar a alegria
que está dentro, por dentro.
E então, o sorriso nos lábios
que cantam sem se importar
com a afinação e música.
O brilho do olhar quando me observa
me dá a segurança das palavras ouvidas
A sintonia dos atos e dizeres,
do que está dentro, como forro,
e do que se vê.
Sem medo, no tempo certo.
Porque me faz bem.


21.11.10

Não se mate
Carlos Drummond de Andrade

Carlos, sossegue, o amor
é isso que você está vendo:
hoje beija, amanhã não beija,
depois de amanhã é domingo
e segunda-feira ninguém sabe o que será.

Inútil você resistir
ou mesmo suicidar-se.
Não se mate, oh não se mate,
reserve-se todo para
as bodas que ninguém sabe
quando virão,
se é que virão.

O amor, Carlos, você telúrico,
a noite passou em você,
e os recalques se sublimando,
lá dentro um barulho inefável,
rezas,
vitrolas,
santos que se persignam,
anúncios do melhor sabão,
barulho que ninguém sabe
de quê, praquê.

Entretanto você caminha
melancólico e vertical.
Você é a palmeira, você é o grito
que ninguém ouviu no teatro
e as luzes todas se apagam.
O amor no escuro, não, no claro,
é sempre triste, meu filho, Carlos,
mas não diga nada a ninguém,
ninguém sabe nem saberá.

16.11.10

Cotidiano do belíssimo trânsito brasileiro


Algumas decisões são difíceis. Por exemplo. Você trabalhou o dia todo e está cansada. Caminha para o ponto de ônibus. E fica meia hora ali parada e nada. De repente vem o tão esperado transporte luxuoso já cheio de pessoas em pé. E aí você tem que tomar a decisão: pegar este bus ou esperar pois como demorou muito talvez venha um outro logo atrás. Você resolve esperar. Talvez venha logo, talvez demore mais meia hora. Ou você está no ponto e então vem logo dois ônibus. Maravilha! Agora é o dilema. Não dá pra ver qual está vazio, ou menos vazio...e qual está cheio. Ou talvez os dois já venham cheios. A questão é que não dá pra ficar analisando um e outro. Não! O ponto está cheio de pessoas esperando esse mesmo bus, ou seja, de qualquer forma você terá que correr para pegar ou um ou outro, pois os dois irão lotar de qualquer forma agora. E ainda por cima está chovendo. Sombrinhas molhadas, você molhada, o cara ou a mulher do seu lado molhados. Então é a decisão. Escolhe um e na sorte e no escuro é esse mesmo. Corra pra porta e suba. Depois disso tente não olhar para as janelas, elas estarão todas fechadas e abafadas, se você tiver problemas com isso é melhor ignorar e não olhar pro lado de fora, afinal não vai dá pra enxergar nada mesmo. Então relaxe e curta o engarrafamento.


BELO HORIZONTE ESTÁ ENTRE AS CIDADES MAIS DESIGUAIS DO MUNDO

As cidades de Goiânia, Fortaleza e Belo Horizonte figuram entre aquelas de maior desigualdade de renda do mundo. Segundo dados divulgados pela ONU-Habitat, Agência das Nações Unidas para Habitação, esses municípios só ficam atrás das cidades sul-africanas e de Lagos, na Nigéria.

http://g1.globo.com



Eita!!!

25.10.10

23.10.10


sic uis pacem, para bellum
(se queres paz, prepara-te para a guerra)

20.10.10


Sobre o equilíbrio das carpas...


13.10.10

Para chegar ao seu coração
As vezes minha voz fica fraca
A brisa suave acaricia
O gelo em forma de enguia
Xan Hu, o verde acinzentado encantado
Derrete na minha mão
Suave como sua pele
E derrama, meu Xan Hu
Totalmente tomado por você
Totalmente tomado por você.

O Trem de Zhou yu





27.9.10




Sobre minha viagem pro Rio...
então...




....

23.7.10



Pois que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro, e perder-se ou destruir a si mesmo?
(Lucas 9:25)

13.7.10

LUGARES AUSENTES
Amaro Vaz

Fez-se tormenta, o mar que eu navegava
Escuridão, a luz que em mim reluzia
Fez-se mais triste a minha alegria.
Fez-se ausência a paz que eu habitava.


Silenciou-se o verso, que chegava
Para trazer-me o sol de cada dia.
Não mais existe a tua companhia
Teus lindos versos, a tua poesia.


Tudo se fez escuro, noite densa
No exato instante em que a alma pensa
Que os dias seriam todos coloridos.


Minha emoção perdeu-se no caminho
Não tenho mais ninguém, ando sozinho
Lugares mórbidos, lugares perdidos.

3.7.10


URUGUAI X GANA



Na minha opinião o jogo mais emocionante que eu assisti dessa Copa. Gana sai na frente. Uruguai empata com o gol de Forlan. Vai pra prorrogação. E no 2º tempo, no finalzinho... no último lance..na hora do grande gol de Gana, o jogador do Uruguai defende brilhantemente com as mãos. Sim! Com as duas. Como um bom goleiro. Vai expulso. Pênalti pra Gana. Vamo lá! Garra! Seu melhor jogador se concentra e bate. Bate. Bate na trave. O que era pra ser a segunda vitória vira a espera. Outra decisão. Decisão nos pênaltis. Uruguai acerta. Gana acerta. Uruguai acerta. Gana erra. Eita! Já era? Não. Uruguai erra também em seguida. A chance ressurge. Rápida. Gana erra! A chance vai agora como um foguete. Uruguai vence. Mas Gana merecia ter ganhado. Nem sempre se consegue o que talvez até merecíamos. Nem sempre a luta, a força, a garra nos leva a vitória. Num jogo pode ser assim. A vida pode ser assim. Cheia de incertezas, as vezes, perdas, mas também com belas jogadas, belos passes. Assisti ao filme Plano B e em um momento um pai diz sobre a paternidade: é horrível, é horrível, é horrível, mas aí tem-se um momento mágico. E depois é horrível, horrível... Não penso bem que se é assim, mas alguns breves momentos da nossa vida podem ser ... É esperar o momento mágico acontecer. O jogo pode ter acabado, mas haverão outras partidas.

11.6.10

(Yosa Buson)



A sensação de tocar com os dedos
O que não tem realidade -
Uma pequena borboleta!




7.6.10

26.5.10

Serra da Piedade: lindo lugar! Linda vista!


Não sabemos de tudo

Por isso que se expressar se torna necessário.




28.4.10

Do rio que tudo arrasta se
diz que é violento
Mas ninguém diz violentas as
margens que o comprimem.
B. Brecht

13.4.10

, essa tive que colocar aqui...

"Minha imaginação é literalmente um depósito de adubo orgânico.
Algumas "merdas da vida" realmente promovem meu crescimento."

By tchelavaz.blogspot.com

30.3.10


Hoje eu redescobri o porquê eu evito salão de beleza...
porque eu não preciso disso!!?!! como Zeca Baleiro disse...?
não. brincadeira...
É devido a falação. As mulheradas não param um segundo sequer...falam sem parar.
Parecem maritacas. Aquele alvoroço.
Não estou falando de salão de beleza que parece consultório médico. Não!Esses são silenciosos.
Chiques! Perguntam se você aceita água, suco, champanhe..
Estou falando daqueles pequenos, de bairros, onde tudo se mistura...cabelo, unha, escova....
esses que todos se ajuntam e o que uma tá falando de um lado a outra completa de outro.
E o pior! você não está imune a isso. Enquanto espera sua hora chegar lendo sua revistinha tudo bem. Mas quando você senta na cadeira começa. Como você está? E como tá fulano? e tem notícias do ciclano? E começa as perguntas que param no intervalo de conversas atravessadas e atendimento de telefone e grita pra uma, fala com a outra...enfim! volta as perguntas que cessam com meus monossílabos estimulantes! Enfim...até a volta necessária.




17.3.10


Era apenas um velho sentado na calçada. Por ser fraco demais. Para sentir o alívio da solidão. Era apenas um velho que resolveu se afastar da luz. Ou se aproximar?...Um velho que fez as escolhas erradas desde jovem. Quando tinha 20 anos. Quando poderia abrir os olhos. Aquelas pessoas diante do velho. Como espelhos.
Aqueles que não sabem amar.
Aqueles que sempre pensam que são jovens.
Aqueles que berram.
Aqueles que apenas seduzem.
Aqueles que matam, que são apenas ossos! Ossos! Ossos sem alma! Sem espírito! Apenas ossos e uma carne poderosa! Uma carne com músculos fortes e enrijecidos!
E era abrir os olhos e ver que esses são os fortes demais. Era enxergar que ele poderia perder. Mas ele escolheu a cegueira e as correntes!

15.3.10


Paineira (Bela!)

A paineira normalmente começa a florir e perder suas folhas à partir de dezembro, estando completamente sem folhas em abril e maio, quando começa a abrir seus frutos e dispersar suas sementes envoltas em abundante paina, pelo vento.

Possui variedades de flores brancas e rosa de várias intensidades, sendo muito utilizadas para paisagismo de locais amplos. A paina (retirada de seus frutos) pode ser usada para enchimento de colchões e travesseiros tendo sido muito usada, no passado, para enchimento de bóias de embarcações.

Sua madeira não tem grande utilidade para o homem, embora os índios botocudos a utilizem para seus ornamentos de beiço e orelha. Tem crescimento rápido sendo recomendada para plantios de recuperação de áreas degradadas e para o paisagismo.

8.3.10

When I need you,
Just close my eyes and I'm with you
Nor that I so wanna give you
It's only a heart beat away
When I need love,
Hold out my hands and I touch love
I never knew there was so much love
Keeping me warm night and day

http://www.youtube.com/watch?v=6qz-2aC5hsA

24.2.10


“Minha disposição é a mais pacífica. Os meus desejos são: uma humilde cabana com teto de palha, mas boa cama, boa comida, o leite e a manteiga mais frescos, flores em minha janela e algumas belas árvores em frente de minha porta; e, se Deus quiser tornar completa a minha felicidade, me concederá a alegria de ver seis ou sete de meus inimigos enforcados nessas árvores. Antes da morte deles, eu, tocado em meu coração, lhes perdoarei todo o mal que em vida me fizeram. Deve-se, é verdade, perdoar os inimigos – mas não antes de terem sido enforcados.” (Heine apud Freud: Obras completas, Imago, 1995)

11.1.10

Os Estatutos do Homem (Ato Institucional Permanente)
A Carlos Heitor Cony
*(alguns artigos!)*
Thiago de Mello

Artigo I
Fica decretado que agora vale a verdade.
agora vale a vida,
e de mãos dadas,
marcharemos todos pela vida verdadeira.

Artigo II
Fica decretado que todos os dias da semana,
inclusive as terças-feiras mais cinzentas,
têm direito a converter-se em manhãs de domingo.

Artigo III
Fica decretado que, a partir deste instante,
haverá girassóis em todas as janelas,
que os girassóis terão direito
a abrir-se dentro da sombra;
e que as janelas devem permanecer, o dia inteiro,
abertas para o verde onde cresce a esperança.

Artigo IV
Fica decretado que o homem
não precisará nunca mais duvidar do homem.
Que o homem confiará no homem
como a palmeira confia no vento,
como o vento confia no ar,
como o ar confia no campo azul do céu.

Artigo V
Fica decretado que os homens
estão livres do jugo da mentira.
Nunca mais será preciso usar
a couraça do silêncio
nem a armadura de palavras.
O homem se sentará à mesa
com seu olhar limpo
porque a verdade passará a ser servida
antes da sobremesa.

Artigo VII
Por decreto irrevogável fica estabelecido
o reinado permanente da justiça e da claridade,
e a alegria será uma bandeira generosa
para sempre desfraldada na alma do povo.

Artigo VIII
Fica decretado que a maior dor
sempre foi e será sempre
não poder dar-se amor a quem se ama
e saber que é a água
que dá à planta o milagre da flor.

Artigo XII
Decreta-se que nada será obrigado
nem proibido,
tudo será permitido,
inclusive brincar com os rinocerontes
e caminhar pelas tardes
com uma imensa begônia na lapela.

Parágrafo único:
Só uma coisa fica proibida:
amar sem amor.

Artigo XIII
Fica decretado que o dinheiro
não poderá nunca mais comprar
o sol das manhãs vindouras.
Expulso do grande baú do medo,
o dinheiro se transformará em uma espada fraternal
para defender o direito de cantar
e a festa do dia que chegou.

Artigo Final.
Fica proibido o uso da palavra liberdade,
a qual será suprimida dos dicionários
e do pântano enganoso das bocas.
A partir deste instante
a liberdade será algo vivo e transparente
como um fogo ou um rio,
e a sua morada será sempre
o coração do homem.

Santiago do Chile, abril de 1964