27.12.08




VOARES TANTOS

Amaro B. V. Filho



Eu já voei nas asas de um cometa

Em pensamentos, eu já voei o mundo

Voei os desencontros, o submundo

Só não voei na aflição, de tarja preta.



Eu já voei, em balões de gás inerte

Nas pipas coloridas, quando criança

Voei a realidade, na lembrança

Nos carnavais voei, era o confete.



Voei, porque voar era uma tática

A vida de quem voa, não é estática

E o sonho de quem voa é o infinito.



Voei, porque jamais eu tive medo

Porque voar é o melhor brinquedo

E além do mais, ainda, o mais bonito.


13.12.08


Em muitas coisas o tempo é um amigo,

o silêncio um abrigo,

a distância, um momento de reflexão.

Porém, isso tudo tem a hora certa.

Há momentos que pedem uma boa e clara conversa.

Que o tempo, o silêncio e a distância

venham depois, pois se vierem antes...

pode não ser uma boa idéia.