27.12.08




VOARES TANTOS

Amaro B. V. Filho



Eu já voei nas asas de um cometa

Em pensamentos, eu já voei o mundo

Voei os desencontros, o submundo

Só não voei na aflição, de tarja preta.



Eu já voei, em balões de gás inerte

Nas pipas coloridas, quando criança

Voei a realidade, na lembrança

Nos carnavais voei, era o confete.



Voei, porque voar era uma tática

A vida de quem voa, não é estática

E o sonho de quem voa é o infinito.



Voei, porque jamais eu tive medo

Porque voar é o melhor brinquedo

E além do mais, ainda, o mais bonito.


13.12.08


Em muitas coisas o tempo é um amigo,

o silêncio um abrigo,

a distância, um momento de reflexão.

Porém, isso tudo tem a hora certa.

Há momentos que pedem uma boa e clara conversa.

Que o tempo, o silêncio e a distância

venham depois, pois se vierem antes...

pode não ser uma boa idéia.

18.10.08

TOLERÂNCIA
Amaro B. Vaz

Eu reconheço, é preciso tolerância
Para manter a calma, o bom senso
O ser humano, eu, às vezes penso
É fruto da maldade e da arrogância.

Quando atingido, procuro em meu canto
Buscar a luz, reacender a minha chama
Não me permito o ódio, se ele inflama
Dou-lhe porrada, meto o pé, espanto.

Porém, eu sempre irei dizer... modere,
Segura as ondas, não se meta, espere
Somente o tempo há de mudar a rota.

Não quero papo, estou de quarentena
Deu pra notar, sua mente é tão pequena
Que o verso sofre e a rima se faz torta.

29.9.08

Experiência elementar:
pacote.

24.9.08

Tô me sentindo meio janta hoje
tô me sentindo meio arroz com feijão....

(Pato Fu)

18.9.08




PARA UM POETA QUE RECOLHE GOTAS DE CHUVA....


DEPOIS ...


Antes que o inverno se vá,
Vestirei as sementes que germinarão,
Férteis de poesias ,
meu peito irá molhar
O solo farto entre os sonhos e a razão


Abrirse-ão todas as cortinas, amanhecidas
Beijando o sol num prisma de olhar a vida
Abrigarei a gota de chuva nos meus poros
E a refrescarei , para que ela possa ficar...


Quem sabe migre para dentro dos meus olhos
Num cristalino mergulho se guardando intata
Mirando o orvalho na flor, bem disfarçada...

Mas...se ela como a estação me abandonar
E nas chuvas de despedidas se mesclar,
Será água...Livre...se banhará no mar !


(coisas de Ana)

16.9.08

momento cansaço de terapia:

terapeuta: é.. seu problema é simples e normal...dessa nossa época...muitos estão passando pelas mesmas coisas....

paciente: .........sei.....

terapeuta: as pessoas machucam mesmo umas as outras em busca do prazer....

paciente:....entendo.....

terapeuta: os homens ainda não descobriram o que é o amor....

paciente: realmente....

terapeuta: e fazem sexo ainda sem sentirem nada por você de especial....

paciente: ....

terapeuta: mas você não tem que pirar com isso não....

paciente: não?

terapeuta: você deve sim saber o que você quer? o que você quer?

paciente:....sei.....

terapeuta: sabendo o que você quer você deve mandar tudo pro espaço e ir atrás cuidadosamente e com amor dos seus sonhos....sem forçar..sem ódio...sem rancor....e sem criar feridas...

paciente: (pensamento) ...cara...esse cara é louco.....

terapeuta: e para isso eu recomendo..muito descanso..você precisa dormir...

paciente: isso eu já estou fazendo...

terapeuta: e estudar.....

paciente:...tá....

terapeuta: e ficar em silêncio..até isso tudo virar um nada...até tudo isso te deixar....até você não ter vontade de ver ninguém.....e ter vontade apenas de começar de novo....

paciente: (pensamento)..cara eu estou apaixonada....eu estou apaixonada pelo meu terapeuta...

terapeuta: e não começar um relacionamento com ninguém agora....pois pessoas machucadas precisam recobrar suas forças...pois senão..qualquer pessoa que fizer um elogio num ponto de ônibus..ou em qualquer canto..você sabe né?

paciente: ....

terapeuta: então...dormir e descansar....e ouvir mozart (Requiem)...

24.8.08

OUTONO
A natureza sangra. É outono!
As folhas migram. Vão dormir ao solo!
Como crianças, que não sabem o colo
Como cãezinhos, que não sabem o dono.
A tarde é cinza. Faz lembrar cimento!
Os galhos ficam nus. Nenhuma roupa!
A vida é minguante. Rara. Pouca!
Sequer há brisa. É preguiçoso o vento.
Tudo é tristeza. Tudo é melancolia!
Até o velho sol perdeu a ousadia:Vem manso.
Fraco. Vem à prestação!
Enquanto os jardins tristes, funéreos
Ganham feições de imensos cemitérios
Tantas as folhas mortas pelo chão.
Amaro B. Vaz Filho

6.8.08


PACO DE LUCIA
para quem gosta de ouvir um bom som na vitrola!!!

2.8.08


No Surprises
Radiohead

No alarms and no surprises
No alarms and no surprises
No alarms and no surprises
Silent silence

19.4.08



PS: eu acho esse pássaro (vivuinha) simplesmente encantador...

tive a oportunidade de vê-lo duas vezes...

engraçado dizer isso..

mas infelizmente não se vê pássaros como antigamente...

12.4.08

16.2.08

A crise nos obriga a voltar às questões mesmas e exige respostas novas ou velhas....Uma crise só se torna um desastre quando respondemos a ela com juízos pré-formados, isto é, com preconceito. Uma atitude dessas não apenas aguça a crise como nos priva da experiência da realidade e da oportunidade por ela proporcionada à reflexão.
(Hannah Arendt)

16.1.08


(Litoral Paulista)
Bão...bão...muito bão...