23.11.07

Para aqueles que não sabem suportar a dor
e ficam inventando sabores outros
achando que a vida é só aquele pedaço do bolo

Para aqueles que escolhem a morte
achando que irão morrer mesmo
e nada mais importa

Para aqueles que não suportam o amor
e para acabar com eles
falam palavras duras ao pé do ouvido
como se o vento fosse passar
e não deixar rastro nenhum.


15.11.07

"O que contava era o traço dourado, o traço mágico que ela havia imprimido em sua vida e que ninguém poderia tirar. Antes de desaparecer no horizonte, teve tempo de entregar a vassoura de Hércules com a qual ele varrera de sua vida tudo aquilo de que não gostava. essa felicidade súbita, esse bem-estar, essa alegria, que lhe proporcionavam a liberdade e a vida nova, tudo isso era um presente que ela lhe havia oferecido"

( A insustentável leveza do ser - Milan Kundera)
marianne: qual é o problema? Johan?
johan: eu não sei. acho que é um tipo de ansiedade.

m: ansiedade? como assim? agora entendo. você está triste.
j: não estou triste, eu...é pior. é uma ansiedade infernal. é maior do que eu. está tentando sair de mim através de todos os orifícios: meus olhos, meu ânus.é como uma diarréia mental gigante. sou pequeno demais para a minha ansiedade.

m: tem medo da morte, Johan?
j: acima de tudo, eu só gostaria de gritar. o que você faz com um bebê chorão que não aceita o seu conforto?

m: venha deitar-se comigo
j: não há espaço

m: dormimos em camas mais estreitas
j; não vamos conseguir dormir

Filme Saraband do bergman.

14.10.07

Você ousa ficar fora?
Você ousa entrar?
Quanto pode perder?
Quanto pode ganhar?
E se entrar, deeve virar a direita ou esquerda?
Ou direita e três quarteirões?
Ou nem tanto?
Vai ficar tão confuso que vai começar a correr
Em estradas curvas e longas em um passo super rápido
e vagar por milhas em lugares estranhos e selvagens
em direção, temo eu, ao lugar mais inútil:
o lugar de esperar
Para pessoas que só esperam
esperando um trem partir ou um ônibus chegar
ou um avião partir
ou a correspondência chegar
ou a chuva parar
ou o telefone tocar
ou a neve nevar
ou esperar por um sim ou um não
ou um colar de pérolas
ou um par de calças
ou uma peruca com cachos
ou outra chance

Poema lido no filme crime mestre

3.10.07

Bati o trem na contramão...

23.9.07


Dica do Rafa!

Quando vos mandarem F...., pelo menos já sabem onde é:

perto de Stockholm, Suécia.

14.8.07


And if you hear me talking on the wind
You've got to understand
We must remain
Perfect Strangers
(Deep Purple)

28.7.07

... LOVE THAT`S STRONGER ...

5.7.07

“Cada um deveria avaliar-se a si próprio com precisão, cada um deveria saber o quanto poderia pretender da vida”
(Nietzsche)

20.6.07



Fim de Lobo Solitário...

2.6.07

Hoje escutei que era necessário divinizar o riso.
Talvez seja necessário também divinizar a dor, a tristeza...também.

9.4.07


Quando parecer que eu estou por perto
Cheque novamente o que está acontecendo
Talvez o silêncio faça um som
(John Frusciante)

20.3.07

E se um dia ou uma noite um demônio se esgueirasse em tua mais solitária solidão e te disesse: "Esta vida, assim como tu a vives agora e como a viveste, terás de vivê-la ainda uma vez e ainda inúmeras vezes; e não haverá nela nada de novo, cada dor e cada prazer e cada pensamento e suspiro e tudo o que há de indizivelmente pequeno e de grande em tua vida há de te retornar, e tudo na mesma ordem e sequência - e do mesmo modo esta aranha e este luar entre as árvores, e do mesmo modo este instante e eu próprio. a eterna ampulheta da existência será sempre virada outra vez e tu com ela, poeirinha da poeira! - Não te lançarias ao chão e ragerias os dentes e amaldiçoarias o demônio que te falasse assim? Ou viveste alguma vez um instante descomunal, em que lhe responderias: "Tú és um deus, e nunca ouvi nada mais divino!" Se esse pensamento adquirisse poder sobre ti, assim como tú és, ele te transformaria e talvez te triturasse; a pergunta, diante de tudo e de cada coisa: "Quero isto ainda uma vez e ainda inúmeras vezes?" pesaria como o mais pesado dos pesos sobre teu agir! Ou então, como terias de ficar bem contigo mesmo e com a vida para não desejar nada mais do que essa última, eterna confirmação e chancela? (Nietzsche)

27.2.07

"No meio da jornada de nossas vidas,
encontrei-me numa floresta escura
onde o caminho certo estava perdido"

Divina Comédia

1.2.07

Não te quero senão porque te quero,
e de querer-te a não te querer chego,
e de esperar-te quando não te espero,
passa o meu coração do frio ao fogo.
Quero-te só porque a ti te quero,
Odeio-te sem fim e odiando te rogo,
e a medida do meu amor viajante,
é não te ver e amar-te,
como um cego.

Tal vez consumirá a luz de Janeiro,
seu raio cruel meu coração inteiro,
roubando-me a chave do sossego,
nesta história só eu me morro,
e morrerei de amor porque te quero,
porque te quero amor,
a sangue e fogo.

Pablo Neruda